quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Desaba.

Ao meu ser:
Deixa-os odiarem-te, pois ódio é algo que não consegues retribuir. 
Deixa-os desejarem que não existisses, porque isso sabes que tu própria desejas. 
Deixa-os comentar as tuas opções e criticarem os teus motivos, pois a tua vida e a tua morte só a ti te pertencem.
Deixa que as vozes te consumam, porque elas são o que tu és. 
Mas não deixes que os outros te derrubem, por nada.
E quando achares que tens razão, morre por ela, só não deixes que eles te matem.

sábado, 24 de dezembro de 2016

Mensagem de Natal

Que esta deixe de ser só mais uma noite, como tantas outras, e que, aparte o consumismo exagerado e a falta de valores humanos da atualidade, possamos viver um pouco de amor e de paz, que possamos sentir o calor humano, a presença dos outros, que nos são queridos, e que consigamos descobrir que não estamos sós.
Que a nossa alma se revigore e se abra ao verdadeiro espírito natalício, de amor, solidariedade, dedicação e empatia, e que este esteja em nós, não só nestes dias, mas no novo ano que se aproxima.

Um Feliz Natal a todos e um ótimo 2017, cheio de novos objetivos e desejos, conquistas e realizações!

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Pseudo-Escrita




Escrevo para entendedor, porque me sinto desentendida. E quem sofre - todos - entenderá. Sinto um quarto de vida já vivida num quarto frio e sem vida. 
É a isto que se resume a feliz infelicidade de quem quer tudo e crê que nada tem, quando tudo o que poderia ter é tudo quanto precisa para estar contente. Mas nada funciona assim e o ser, incompleto por predefinida circunstância, sente-se vazio na sua imensa vontade de se completar continuamente, com infinitos desejos de plenitude e compreensão - amor. 
Mas tudo o que recebe é a sofrência das súplicas não ouvidas, jamais correspondidas, quando sabe já que não deveria ambicionar aquilo que não vê pois tal não lhe será concedido sem que o mereça. Mas o ser é cego nas suas decisões. E a cegueira torna o ser desprovido de moral para ser merecedor de amor. Ou assim o acha...

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Sugestões de Natal #4

dicas de natal
Olá, olá,
Acabei por voltar com a última postagem desta rúbrica e venho mesmo quase à última da hora, não é? Mas eu sei que vocês, como a maioria das pessoas, também sofre com essa coisa chamada preguiça, ou então falta de tempo, ou até com falta de originalidade para prendas, e apenas guardou estes últimos dias antes do Natal para comprar as lembrancinhas.
Então, vou fazer uma lista bem rápida de coisas que ainda vão a tempo de comprar, nestes últimos dias, e que podem ficar bem oferecer no Natal.

Mas, antes, se não viram os outros três textos, podem vê-los: AQUI (#1), AQUI (#2) e AQUI (#3).

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Eu ❤ Cozinhar: Ceia de Natal

Olá!
Sem ser a minha tortilha da semana passada, já não vos trazia receitas há algum tempo, não é?
Hoje, trago algo que fazemos, aqui em casa, para a noite de Natal, já há alguns anos, e que, embora tenha o que é normal comer nessa noite, é diferente e creio que bem mais saboroso! E até mesmo as pessoas mais "tradicionais" têm aprovado este prato. É, como a maioria do que costumo cozinhar, super simples, embora possa levar um bocadinho mais de tempo a ser confecionado. Mas é para uma refeição, por norma, especial. Não é verdade?
Confesso que não sou grande fã do bacalhau e as batatas cozidas e, por isso, para mim é um alívio ver que os meus pais também gostam de ser originais na consoada! Então, fica aqui o nosso prato dos últimos Natais...

sábado, 17 de dezembro de 2016

Sugestões de Natal #3

copyright
Antes de mais, saibam que estou a gostar muito de fazer esta rúbrica, faz-me sentir mais útil, além de que me incentiva muito mais a continuar a minha pesquisa nas prendas de Natal, algo que faço mesmo até à última hora, pois consigo ser extremamente indecisa quando se trata destes assuntos. 
Por isso, aqui estou eu, outra vez, para vos trazer mais sugestões, mais coisas para a casa, que nunca ninguém nega. E se não viram as outras duas postagens, podem ver AQUI a primeira e AQUI a segunda. Hoje trago...

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

1/2 ano de blogue

meio ano de blog
Oh.Meu.Deus. 
Eu sei que meio ano são apenas seis meses, no entanto sei que já é bem mais do que aquilo que consegui de outras vezes que tentei manter um blogue, e saber disso dá-me força e mais vontade para continuar por aqui. Não tive grandes razões que vos possa dar para começar este cantinho, mas está a ser tão bom poder vir aqui e escrever aquilo que quero, de acordo com o que sinto, com o que preciso de expressar, ou com o que aprendi, e saber que estou a ter retorno, que vocês leem e que gostam de ler, caso contrário não continuaria a ter visualizações, mesmo nos dias em que nada publico.
Já houve dias em que me esqueci completamente que tinha um blogue, tive dias em que queria escrever e não conseguia, em que escrevia mas achava incoveniente publicar aquilo, outros dias em que me cansei e mandei ao lixo aquilo que tinha para postar, pois sentia que não valia nada...

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Cai a ficha outra vez.

Sabem quando uma coisa corre mal? Sabem quantas coisas são capazes de correr mal, como que em catadupa, quando a primeira descarrila? 
A vida, nestes dias, até tem sido fácil. Focada no Natal, que tanto aprecio e que se aproxima, focada nas prendas que gosto de comprar,  focada no facto de estar quase no fim de um semestre académico que foi relativamente positivo, enfim, ligada às coisas boas que ultimamente me têm rodeado, à positividade que, finalmente, parecia tomar posse de mim. Mas, como sabem, tudo o que é negativo chama-nos, mais que automaticamente, a atenção. 
É quase inevitável não dedicarmos a maior parte do nosso tempo àquilo que nos faz sofrer, em vez de apreciarmos o positivo, que pode ser bem maior. E não sou eu que o digo, nada invento aqui. E parece que, temporariamente, espero, a nuvem negra voltou a pairar sobre mim. Porque questiono o inquestionável e obtenho respostas que, pelo menos conscientemente, não desejo ter. Por vezes, a bem da nossa sanidade, é melhor deixar os assuntos morrer, encerrar os capítulos, sabem?  Depois, vem o arrependimento, esse malvado sentimento que em nada nos beneficia e que nada poder mudar, a não ser aumentar o peso das coisas negativas, sendo por si só negativo. 
Sou eu, e mais ninguém, responsável por, mais uma vez, mentirem, ocultarem verdades, traírem a confiança, de alguma maneira, em algum momento. E não deveria impedi-lo? Mas não consigo, ainda, e sei que nada de mal há nisso, a não ser deixar que a ferida abra novamente, sem nunca deixar que a cicatriz seque. Porque somos assim, feitos de ingenuidades, porque tendemos sempre a acreditar, porque esperamos honestidade, porque confiamos. Talvez porque amamos. Ou talvez porque ainda não compreendemos o que é o desapego.
Sabem o que é pior? Sinto que quero "recuperar-me" a mim mesma, ser terapeuta daquilo que sou. Ultimamente, não me permito sentir fria, pura e cruamente, tento racionalizar tudo, tento entender no momento, mesmo o que sei que jamais entenderei sozinha, mesmo sabendo que não consigo suturar o meu próprio corte...

domingo, 11 de dezembro de 2016

Eu ❤ Cozinhar: Tortilha no forno

Olá, olá!
Ontem à tarde, a minha tia fez uma receita muito original, na minha opinião, e suuuper fácil, com ingredientes que todos, por norma, temos em casa. Tudo isto a juntar ao facto de ser muito saborosa! Como é óbvio, cheguei a casa e fiz a minha própria versão da coisa, com algumas alterações.
Para mim, trata-se da fusão entre uma tortilha e uma lasanha, embora nada tenha a ver com lasanha a não ser o facto de ser feito em camadas. É de ficar, inicialmente, desconfiados se vai ficar bom... Mas acreditem que fica! E fica também com ótimo aspeto, como podem ver. O meu pai até sugeriu trocar-se o fiambre por bacalhau desfiado e acredito que também seja uma boa combinação para o almoço, por exemplo.

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Sugestões de Natal #2

dicas de presentes
Olá!
Há uns dias decidi começar a fazer esta lista de sugestões com possíveis prendas de Natal.
Para quem não viu a primeira parte, pode clicar AQUI.
Como sou uma devoradora de livros, hoje queria fazer uma lista dedicada aos meus semelhantes, ou seja, com coisas que podem oferecer a alguém que passa a maior parte do tempo a ler. No entanto, como sei que nem todos gostam especialmente de livros ou não sabem escolher, porque é algo que também se pode resumir muito ao gosto pessoal, trago-vos objetos úteis para qualquer pessoa, ideias para os mais preguiçosos, e que eu não dispenso nesta altura.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Rubrica: Livros do Mês #7 + Wishlist

Olá, olá,
Já só faltam dezanove dias para o Natal e este mês, tal como a época, a rubrica é especial: trago-vos aqueles três livros que, entre outros, eu quero mesmo muito ler e que estou à espera que alguém se lembre que são estes que quero. E, como não podia deixar de ser, dois deles são policiais!
Lembrem-se que ainda não li ou tenho, sequer, estas obras, por isso o que vos trago não é a crítica, mas as sinopses, apenas, e a enorme vontade de as ter na minha estante. *blink eye*

sábado, 3 de dezembro de 2016

Animais não são presentes

ANIMAL
Olá a todos, 
Venho com espírito de Natal pois este mês é-me quase impossível não o deixar, mas quero falar de uma coisa séria, por dois motivos: ontem foi o Dia do Rafeiro e hoje vi na página da Animal, no facebook, mais um dos apelos, típicos desta época, para não se oferecerem animais como prenda de Natal. Também só venho aqui, como tantas outras pessoas, tentar sensibilizar para este tema, pois a verdade é que muitos dizem gostar de animais e achá-los muito fofinhos, queridos, divertidos, no entanto quando se deparam com a responsabilidade que é ter um cão, por exemplo, em casa, a opinião muda e acabam por, cruelmente, se "desfazer" de um ser que deviam cuidar e respeitar.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Sugestões de Natal #1

copyright
Olá!
Estamos, finalmente, em dezembro, aquele mês em que, falando por mim, passamos o tempo já a correr para as lojas e a pensar no que poderemos comprar de prendas, de preferência originais, sem que tenhamos de gastar muito dinheiro, principalmente se for uma família grande e quisermos presentear cada primo, por exemplo.
Por esta razão, ao longo do mês, até à semana do Natal, vou aproveitar a minha pesquisa, por presentes de Natal que possa oferecer, e dar-vos dicas e sugestões de prendas que podem comprar, relativamente acessíveis.
Tanto eu como o meu pai adoramos a Loja do Gato Preto e, por isso, hoje, vou-me ficar por aí, pois tenho a certeza que comprarei lá algumas coisinhas.

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Como acabei (provisoriamente) com a insónia

Olá, 
Hoje o conteúdo é um pouco diferente, mas penso que do interesse de muita gente, especialmente quem tem dificuldades em adormecer e para quem está ansioso, stressado. Juro que adorava ter sabido disto muito mais cedo!
Sabem o que é ASMR? Se não sabem, não se preocupem, porque só "conheci" isto há uns dias, embora o tenha experienciado a minha vida toda (o que, certamente, se aplicará a muitos de vós). Então, ASMR significa Autonomous Sensory Meridian Response (Resposta Sensorial Meridiana Autónoma), mas não se assustem com o nome pomposo, que até parece aludir a algo assustadoramente científico.

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

5 razões para ser empático

pink draw
"Se calhar há uma razão para ele agir desta maneira."
Surgiu-me, nestes dias, na convivência com pessoas "pouco empáticas", por razões que me foram muito óbvias, a questão do quão empáticos devíamos aprender a ser, e o quanto a empatia faz falta, quer para nos tornarmos pessoas melhores, quer para melhorarmos o nosso relacionamento com os outros. Enquanto psicóloga que espero vir a ser, esta tem sido uma das características que mais tenho sentido que devo trabalhar, pois ser-me-á estritamente necessário possuí-la, de maneira a entender os outros, e creio que ainda tenho um longo caminho pela frente.
É normal e não temos de achar que há algo de errado em colocarmos o nosso bem estar em primeiro lugar, desde que seja na medida certa e que ninguém saia prejudicado com isso, no entanto o problema reside quando, além do bem estar, colocamos todos os nossos problemas, frustrações, etc., bem como toda e qualquer razão que achamos que temos, antes dos outros e não tentamos entender o ponto de vista deles, bem como não tentamos perceber, verdadeiramente, a maior parte das vezes, os motivos, as razões, as emoções deles.

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Feridas

broken heart
Voltou a abrir esta ferida. E a doer muito. Por que teimam em não deixar o corte sarar? E vai sangrando, igual nascente em época de chuvas. E talvez seja só exagero meu, mas é assim que sinto, e sempre disse que o sentimento é subjetivo. A intensidade das coisas está profundamente ligada à essência da pessoa que as vive, no entanto a maioria tem tendência, embora o saiba por experiência própria, a não entender...
Porque se entendessem não faziam sofrer, diria qualquer sofredor. Porque, se quisessem entender, não iam embora tão facilmente, não desistiam, diria eu, também. Porque se não é um, é o outro. Porque se não é uma coisa, é a que se lhe opõe exatamente. E é cansativo. Os desamores são cansativos e muito mais são os amores, até pelo material... Como não haveria de ser pelo humano? 

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Prioridades.



Porque sou extremamente imperfeita, somos todos. E porque não sou sempre feminismo e poder e body positivity...
Preciso de tingir o meu longo cabelo, que me esconde a face quando preciso, porque estou farta de ser assim.
Preciso de pintar os lábios, porque o vermelho e o púrpura vão tirar o foco do resto de mim.
Preciso de usar o rímel, para que a mancha da insónia, de ontem à noite, passe mais despercebida, sem grande trabalho.
Preciso de arranjar estas unhas compridas, porque só elas são bonitas.
Preciso destas roupas largas, que escondem aquilo que sou, na realidade.
Preciso destes saltos, que me fazem sentir mais alta, mais pessoa, mais mulher.
E estou aqui, diante de vocês, nua, despida das mentiras que carrego comigo por todo o lado. 
Escrevo, agora, num rasgo de sanidade, talvez insana por me deixar expôr de tal maneira. Sem vergonha, pelo menos uma vez na vida. 
Mas não somos todas nós um pouco assim? 
Infezlimente... 
Superficiais.

sábado, 5 de novembro de 2016

Rubrica: Livros do Mês #6

open mind
Olá, olá,
Este mês, como estou cheia de trabalho e com tanta coisa para estudar, resolvi fazer um dois em um, com o top 3 de novembro. Então, os livros que trago são aqueles que, por algum motivo, tenho de ler, quer porque precise mesmo, quer porque foram falados e me suscitaram interesse. Devo dizer que qualquer um deles é bastante apelativo, embora nem sempre concorde com tudo o que lá é dito, como é o caso do último que vou apresentar.
  1.  "O Bailado da Alma", J. L. Pio Abreu - é um livro com alguma abordagem mais científica do tema, mas sem requerer a compreensão de grandes palavrões ou conceitos demasiado técnicos. Reparem que o li ainda antes de ter entrado em Psicologia, antes de saber quem era, realmente, o autor, e antes de perceber, sequer, muitos termos, e não considero que seja extremamente complicado entender a ideia geral e a sua essência, além de que pode ajudar o mais leigo a refletir e a entender um pouco sobre o significado de mente e as suas funções (e disfunções).

terça-feira, 1 de novembro de 2016

Sugestão rápida...

tumblr
"The flower of love is the rose.
After three days all the petals fall off and you're left with an ugly, prickly thing."

quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Insónia.

tumblr
É a dificuldade em adormecer todas as noites. É a dificuldade em acordar todas as manhãs. Coisas banais, acontecem a todos.
Acrescentam-se os pensamentos catastróficos antes de dormir. "E se... E se...". Acrescentam-se as motivações perdidas na hora de despertar. "Por que razão haveria de sair da cama?". Contínuo normal, apesar de achar que já é demasiado sofrimento.
Depois vem aquele choro quase sem razão da insónia, porque está tudo errado e tudo tende a permanecer errado. E vem o medo de ter de enfrentar o mundo pela manhã, porque ninguém entende e ninguém faz questão de entender. Já me sinto estranha mas, ao que parece, não sou a única assim.

terça-feira, 25 de outubro de 2016

"Lights Out" - Opinião

Olá, olá,
Provavelmente já não se lembravam, provavelmente até já viram o filme e muito provavelmente a minha opinião já vem atrasada, mas whatever. Prometi ver o filme e fazer a minha crítica, então aqui estou.
Só para relembrar: em julho, um dia antes de "Lights Out" sair, publiquei ESTE TEXTO.
gif lights out
Fiquei à espera que o filme saísse na plataforma em que costumo assistir habitualmente, mas devo confessar que acabei por me esquecer dele e só me lembrei a semana passada, quando o vi lá, lindo, na primeira fila, no meio dos outros recentemente publicados. Fiquei, novamente, super entusiasmada, como andava a precisar, e lá fui ver o filme. 

sábado, 22 de outubro de 2016

Sufoco.

sufoco


A ausência tem sido prolongada mas, sim, estou viva. Só parcialmente, no sentimento, mas viva. Falta a motivação, falta a alegria, falta a vontade de fazer seja o que for. Falta também o ar, muitas, demasiadas, vezes. O sufoco é físico, é psicológico, não consigo entender, mas está cá e só anseio, com uma ânsia ainda maior do que aquela que me aperta o peito, por aquele segundo em que sei que consigo respirar novamente.
São praticamente inevitáveis os momentos de recaída, os momentos em que nos sentimos fracos e incapazes de qualquer ação. No entanto acredito que, de cada vez que passamos por estas fases de fraqueza, saímos delas com mais ânimo, com mais vontade de fazer algo por nós, com o desejo de conseguir alcançar o máximo possível até que entremos, novamente, em mais um destes túneis...

terça-feira, 4 de outubro de 2016

Encantos da serra - Photoshoot

Olá, olá,
Há cerca de três semanas, trouxe à minha terrinha, Castanheira de Pera, uma graaande amiga (que "Coimbra me deu") e, no decorrer da estadia, surgiu a ideia de fazer esta sessão de fotos, dada a beleza dos recantos da terra e a da dita amiga. Como não podia deixar de ser, venho aqui partilhar convosco algumas das fotografias das quais me orgulho bastante e aproveito também para publicitar uma aspirante a modelo em part time. Ehehe.
Aproveito, ainda, para dizer que as fotos foram tiradas na Praia Fluvial do Poço Corga, no Bolo.

domingo, 2 de outubro de 2016

Rubrica: Livros do Mês #5

Olá, olá,
Antes de mais, desculpem esta ausência tão prolongada, mas a cabeça, por vezes, não dá para tudo e o corpo muito menos ajuda.
Este mês, esperando que seja exceção, trago-vos apenas dois livros (um deles em jeito de redenção), ambos do mesmo género, que foram os dois que li durante a minha estadia em Porto Covo (podem ver AQUI as minhas fotos). E são eles:

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Vejo-as a passar.

Nada contra, apenas aquela dorzinha. Eu vejo-as a passearem-se todas confiantes, superiores, donas de si mesmas, aparentemente felizes, mas provavelmente tão (in)felizes quanto eu. Anyway, parecem melhor que eu. Vejo-as com um namorado, com montes de amigos, a sorrir a todos. Continuo a vê-las a ser tudo o que podem e a fazer tudo o que querem, assim me parece,  e eu continuo estagnada, continuo aqui a rodopiar dentro da mesma sala giratória, que nada mais faz senão prender-me à pessoa que eu fui e que sofreu pelas coisas mais estúpidas, absurdas. E, enquanto não for como qualquer outra, não consigo ser também eu própria uma outra. É terrível como as coisas se resumem a querermos ser normais quando o que de mais único podemos ter é a nossa anormalidade, seja ela feliz ou infeliz.

sábado, 17 de setembro de 2016

Diferentona.

GITH
Sabem a angústia de séries com episódios de hora e meia? (Eu, pelo menos, não gosto.) Sabem a angústia de ter de procurar as séries com legendas, caso contrário 1/3 das palavras fica pelo caminho? Estão fartos das mesmas histórias, dos mesmos atores, do mesmo conceito? Tenho uma novidade para vocês - não que seja assim tão nova -, uma série, em português, diferente de tudo o que estamos acostumados e que cumpre, sem dúvida, o seu papel de nos manter entretidos e de nos fazer rir. E é ela Girls in the House, criada por Raony Phillips, feita a partir do jogo The Sims 4, e que segue a vida de três protagonistas, Honey, Duny e Alex, na pensão da Tia Ruiva, uma personagem misteriosa que ninguém conhece (até agora!). E um ponto super a favor e que a torna suuuper acessível: é no Youtube que podemos assistir.

terça-feira, 13 de setembro de 2016

O que se passa?

Juro que queria saber o que escrever, mais do que vou dizer, neste momento. Juro que gostava de manter este cantinho atualizado com a mesma frequência com que o tenho feito, no entanto começam a faltar, apesar de tudo, duas coisas: inspiração e tempo. 
Estou de regresso a Coimbra e, além do stress por que passo, que não ajuda em nada na minha criatividade ou capacidade crítica - peças fundamentais do blogue -, confesso que não consigo ser uma pessoa muito organizada nos meus horários e não tenho muito controlo sobre o tempo que tenho ou não disponível: durmo demasiado tarde mas nem aproveito a noite para fazer coisas das quais tire algum proveito; acordo também tarde e acabo por perder metade do dia no meu sono fora de horas; durante o dia, não largo o telemóvel e demoro séculos na mais simples tarefa, entre tantos outros erros que vou cometendo e que me fazem desperdiçar a minha vida, a minha juventude. 

sábado, 10 de setembro de 2016

Eu ❤ Cozinhar: O Atum...

Olá, olá.
E hoje trago-vos mais uma daquelas receitas em que colocamos para lá o que temos na despensa e no frigorífico e fica sempre bom, thank God, e é daquelas que salva estudantes universitários do desconsolo! E eu que o diga... Que o "degredo" está para começar.
E é ela... Estrogonofe de atum. Que mais poderia ser? O atum sempre a salvar toda a gente! Devo dizer que esta receita, ao contrário de outras que tenho postado, não foi minha criação (apesar de já estar modificada por mim, eheh), encontrei-a na net, durante os primórdios da minha atividade culinária, logo não conseguirei dar os créditos a ninguém...

quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Porto Covo ❤

Tenho andado ausente, eu sei, mas tenho mesmo de aproveitar estes diazinhos de praia, que tanta falta me fizeram. Ontem é que não tivemos lá muita sorte. Acordámos prontos para ir para a praia e quando abrimos a janela só vimos o céu enevoado e vinha aquele arzinho suuuper frio, então acabámos por aproveitar o dia, que entretanto melhorou, para dar uma voltita e tirar fotos (que a máquina já estava parada há muito), visto que costumamos ficar sempre por aqui, com o carro sem andar a semana inteira.
Como muita gente também já sabe, fazemos férias por aqui já há 15 anos e há sempre a pergunta "E não se cansam de ir sempre para o mesmo sítio?", não, nem por isso. Já nos sentimos em casa, é tão bom chegar. E é calmo, apesar de ter cada vez mais gente e de ser cada vez mais conhecido, e todos os anos há mudança e é giro ver isso, seja no aspeto das praias, porque há mais ou menos areia, mais ou menos pedras descobertas, ou pelo facto de estarem a expandir cada vez mais aquela aldeia que, quando a conhecemos, era composta por "meia dúzia" de casitas.
Deixo-vos, então, pouquinhas das minhas fotografias e hoje só venho mesmo tentar fazer um bocadito de inveja pelas minhas férias tardias. Ehehe. Porque apesar do que aconteceu ontem, temos apanhado dias maravilhosos e água espetacular!



domingo, 4 de setembro de 2016

Rubrica: Livros do Mês #4

Olá, olá.
Já estou, finalmente, nas merecidas férias, na minha terra do coração, Porto Covo, mas obrigações são obrigações e esta cumpro com muito gosto!
Este mês, porque é o mês de entrada nas aulas e no meu caso para o segundo ano da faculdade, trago-vos livros que marcaram de alguma maneira a minha entrada no primeiro ano daquilo que prometia ser um dos primeiros dos meus grandes desafios. Devo sublinhar que, como vocês vão ver, as obras que aqui trago hoje nada têm em comum, quer no género, tema ou escrita.

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Nem gorda, nem magra. Só eu.

meme
Just like that, huh?
Deparei-me, há uns dias, com um texto divertido do Buzzfeed Brasil, creio que já antigo, sobre pessoas que não são gordas nem são magras, vulgo eu, e veio mesmo a calhar porque estou a dois dias de exibir o corpinho nas belíssimas praias do meu querido Porto Covo e nada melhor que um ligeiro reforço da minha autoestima (e da vossa, se assim for necessário).
A maioria do tempo considero que sou gorda, porque excesso de peso tenho, como estão fartos de saber, bem como coxas para dar e vender, não que queira fazer isso, mas depois vêm as pessoas e dizem-me que não sou gorda e que estou bem assim. Se calhar sou gorda e estou bem assim, na mesma, já pensaram? No entanto, se disser que sou magra ou que estou mais magra, sou capaz de ver narizes levemente torcidos e ouço a minha mãe, a mesma que também diz que não sou gorda, a dizer que realmente devia emagrecer um bocadito e que "essa barriguita" está maior. 

terça-feira, 30 de agosto de 2016

Opinião: "A Viúva"

A capa na versão em inglês, diferente da nossa.
Se já por aqui andavam comigo, devem lembrar-se deste texto aqui: "Só mais um livro...". Prometi que traria o mesmo, "A Viúva", para a rubrica mensal de livros, no entanto comecei a lê-lo, assim que acabei de ler "As Raparigas Esquecidas" (que adorei e podem ver a minha opinião aqui), e não me despertou grande interesse, tanto que nem a meio do livro cheguei, continua na minha mesinha de cabeceira, com outro que ando a ler, muito devagarinho, por cima: "Pôr a Casa em Ordem", de Matt Ruff. Escusado será dizer que a leitura me tem passado um pouco ao lado, e não me orgulho!

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Palavras à minha Consciência

Quando acreditares que tudo está mal, olha à tua volta, vê tudo o que existe de bom por aí e mesmo dentro de ti... Provavelmente continuas a sentir tudo mal, eu sei, conheço esse sentimento que nos coloca naquele beco escuro, claustrofóbico, imundo. Mesmo assim, mesmo sabendo que nada te faz sentir melhor - por enquanto -, vê tudo aquilo que tens conquistado, todas as barreiras que derrubaste, todas as tuas capacidades, todas as coisas, pessoas e emoções negativas que já conseguiste afastar da tua vida, mesmo que por momentos. E depois pensa que isso que estás a sentir é "só mais uma fase", como todos gostam de dizer, é só mais um peso do qual te vais conseguir livrar, em breve, e que te servirá de inspiração para outra "fase" que aí virá, porque elas vêm e cabe-nos apenas olhá-las de frente, com aquela confiança que está lá bem no fundinho, e dizer "Não vou deixar que tires o melhor que há em mim!". Só não desistas, por ti, essencialmente.

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Cartas do Passado #3

abandonada
Como sabes que és o pior pesadelo de quem mais queres?
Quando a pessoa procura, sobretudo, paz interior e tu só sabes como lhe tirar o sossego.
Quando a pessoa gosta do seu espaço e tu precisas demasiado dela para que o consigas respeitar.
Quando a pessoa gosta de estar sozinha com os seus pensamentos e tu precisas de tanta atenção que não entendes como a libertar.
Quando a pessoa se farta de tudo muito facilmente e sabes que já aturou demasiado da tua personalidade complicada.
Quando a pessoa estava habituada a viver sem preocupações e dores de cabeça e tu és a mais turbulenta que lhe poderia aparecer pela frente.
Quando tu te sentes o ser que tanto precisa de amor e o mais carente à face da terra e imploras que te agarrem, não as mãos mas, por completo e a pessoa não sabe o que é ou como segurar o mundo do outro.
B.P., 2015

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Um NÃO às (des)ilusões

É tão simples andar iludido por aqui, é tão fácil estar enganado em relação a tudo e a todos. Começando pelo simples facto de não sabermos o nosso destino final. Batalhamos uma vida inteira, por tudo e mais alguma coisa, temos sonhos, ambições, projetos, para um dia simplesmente fecharmos os olhos e nada mais haver, se quisermos ser práticos em relação à morte, algo que não costumo ser, acreditando que há algo mais... E notem que não estou a querer ser derrotista, quero ser apenas realista. Nós nem sequer sabemos como ou quando vamos perecer, contudo não conseguimos ser bons, nem connosco, nem para com outros, em tantos momentos, podendo qualquer um ser o último.

sábado, 20 de agosto de 2016

Eu ❤ Cozinhar: Massas e Eu - Parte II

Mais um sábado com receita! E hoje trago-vos uma coisa que como americana que não sou, mas que bem podia ser pelo gosto na comida, adoooro! E é... Macarrão com queijo.
Há aquela receita em que pego num bocadito de leite, queijo, óregãos e massa e levo ao microondas e chega para consolar e ajuda uma estudante longe da comidinha da mãe (não que eu também não me saiba apresentar muito bem na cozinha!), mas esta não tem naaada a ver com a versão do desenrasque. É absolutamente delicioso, super rápido, enquanto coze a massa faz-se o resto, e fica bem vistoso. O senão: não é nem um pouco dietético! Mas uma vez por outra, não faz mal a ninguém, right?

Macarrão com Queijo
Ingredientes (para 5-6 pessoas):
- 400g de macarronete
- 60g de margarina
- 60g de farinha
- 400ml de natas (eu uso de soja ou sem lactose)
- 200-300ml de leite (também uso sem lactose)
- 200g de queijo mozzarella ralado (Pingo Doce)
- Sal e óregãos q.b. (também pode levar noz-moscada)
- Ingrediente extra à escolha: cogumelos, delícias do mar, fiambre, camarão, bacon...

Modo de preparação: 

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

5000 visualizações + "Tag da Verdade"

Wow, em pouco mais de dois meses cheguei às 5000 visualizações. Tenho de vos agradecer a todos, àqueles que acompanham com assiduidade os meus textos, àqueles que acompanham os temas que lhes interessam, e até àqueles que abrem a página mas se assustam com o tamanho daquilo que eu escrevo. Não sabem o quão importante é para mim saber que há pessoas interessadas nas palavras que aqui vou colocando... Obrigada!
Para "comemorar" o alcance desta meta, que julguei vir mais tarde, vou responder a mais uma daquelas tags que gosto tanto e que vi, mais uma vez, no blogue Conta Tudo Cacau. Apenas adaptei, como usual, para o português de Portugal, e retirei algumas perguntas, de modo a que não se tornasse tão massadora.
Sem mais demora, ficam aqui as minhas respostas, rápidas e sinceras:

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Cinema de Férias: a opinião final

Olá,
Devem-se lembrar que, no final de junho, escrevi este texto, em que vos apresentava uma pequena lista de filmes variados, os quais pretendia ver nas férias. E se não leram, ainda vão a tempo! *blink eye*
Well, já vi quatro dos filmes que vos apresentei (e um bocadito de um - explico depois), e já era tarde! Por isso, trago-vos hoje a minha humilde opinião acerca dos mesmos.

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Distrações (+ AHS)

Olá, olá. Antes de mais, uma boa semana para todos!
american horror story logo
Sei que, da última vez que falei em séries, disse que ia ver Orange is the New Black, que segue a vida de várias reclusas numa prisão feminina e até que nem é má, no entanto não me estava a "prender", não consigo entender o motivo... Conclusão, nem cheguei a acabar a primeira temporada, porque acredito que não devemos perder muito tempo em algo que não nos traz nada de bom, e eu não estava a ganhar qualquer entusiasmo! Então continuei a minha busca por uma nova série que mantivesse a minha mente ocupada e que trouxesse algum ânimo, depois de How I Met Your Mother, e encontrei aquela da qual há muito tempo ouvia falar e, estupidamente, nunca tinha começado a ver: American Horror Story. Meu Deus, como é que eu nunca tinha visto isto?! Estou a adorar, absolutamente! 

sábado, 13 de agosto de 2016

Felicidade e quilos a mais

Depos do pesadelo que vivi esta semana, as coisas já estão calmas e já há tempo, força e vontade para escrever novamente, após estes diazitos de ausência. E já agora aproveito para agradecer o apoio de todos!
Mas vamos ao que interessa para o momento!
Recentemente, vi mais uma daquelas publicações/imagens no Facebook que devia existir em dobro ou em triplo, por dois motivos: primeiro, para que todos os preconceituosos começassem a entender que qualquer um é bonito do jeito que é e o que importa é gostar de si mesmo, e segundo, porque são necessários estes pequenos empurrõezinhos para uma autoestima mais elevada.
Já não é a primeira vez que abordo, aqui, o tema do excesso de peso e da autoestima, mas tenho várias razões para tocar tanto nestes pontos, e uma delas é o facto de eu própria ter excesso de peso e ter de trabalhar constantemente no amor próprio, porque a sociedade não ajuda, e porque, sinceramente, não quero mudar e só desejo sentir-me melhor com aquilo que sou, além de que creio que ainda há muitas ideias disparatadas acerca de pessoas gordas (e, por favor, não entendam "gordo" como uma coisa má, é apenas um adjetivo, como é alto, baixo, magro, etc.), tal como vou enumerar:

terça-feira, 9 de agosto de 2016

Ao desgraçado que nos fez sofrer numa tarde interminável:

incendio
Sim, tenho muita raiva de ti. E eu nem gosto de ser rancorosa, nem muito menos sou destas coisas. Mas o medo faz-nos pensar em tudo...
Não te desejo a morte, pelo menos rápida, mas também não desejo que apodreças numa cela de cadeia (algo que sabemos que não costuma acontecer, infelizmente). 
Apenas desejo, utopicamente, que te prendam a umas destas árvores, das que ficaram por arder pelo fogo que ateaste, que lancem o fogo à tua volta e que sofras, que sofras muito ao vê-lo aproximar-se de ti, que tenhas todos os teus pertences a rodear-te e que vejas que está tudo prestes a ser "comido" pelas chamas, e que te doa, como nos doeu a nós o coração, de tão apertado que esteve. Que sejas consumido, por muito tempo, por um inferno ainda pior do que aquele que esta tarde foi para nós. E que ainda saias vivo, com o trauma e as mazelas para sempre, porque gente como tu não merece absolutamente nada. E nem me peçam calma ou compreensão, porque pode, por enquanto, ter acabado por aqui, mas vejo-o a lavrar do outro lado da encosta e dói a alma só de pensar pelo que passámos e por o que os outros estão a passar igualmente.
E isto é para ti e para todos os que fizeram o mesmo que tu por todo o nosso país.

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

A dor emocional também é física

Frequentemente, pessoas que sofrem de ansiedade, depressão e outras condições, tal como transtorno obsessivo-compulsivo, por exemplo, ouvem frases como: "Isso é tudo da tua cabeça.", "Há pessoas com mais problemas que tu.", "Pelo menos não tens nenhuma doença.", "Vai tudo ficar bem.", whatever. No entanto, não, não é "só da cabeça"; não, os problemas não são maiores ou menores, são subjetivos e cada um sofre à sua maneira e sente ao seu jeito; e sim, a pessoa sofre de alguma patologia, que merece tanta atenção quanto sintomas de determinadas doenças físicas. Pessoas com ansiedade não precisam que lhes digam para se acalmarem, para "não pensar nisso"; pessoas com depressão não precisam que lhes digam que há problemas maiores que os delas ou que está tudo bem; pessoas com TOC não precisam que lhes digam que estão a ser loucas e nada do que façam pode mudar o rumo das coisas. Este tipo de pessoas precisa de atenção, precisa de conforto, não precisa de ser contrariada, mas sim, na maior parte das vezes, de ajuda de um profissional que não lhe atire banalidades à cara, como faz a maioria dos familiares, colegas, amigos, etc, sem ter noção do mal que fazem.

sábado, 6 de agosto de 2016

Eu ❤ Cozinhar: Massas e Eu

 Parece que o sábado passou a ser dia desta rúbrica! Algum dia isto vira blogue de receitas, que acham??
Hoje, trago-vos uma massa que já não faço há imenso tempo mas da qual, a andar pela galeria do meu telemóvel, vi umas fotos e fiquei com imensa vontade de petiscar. E, por isso, como já sabem que não gosto de ficar com estes sentimentos reprimidos, vim partilhar com vocês a receita que é, mais uma vez, super simples! E a próxima tem de ser o meu macarrão com queijo, é de comer e chorar por mais. Anyway, sou doida por massas...
Não sei quantidades certas, tenho a receita aqui escrita tal como vos vou passar, mas é só colocar tudo o que vem nos pacotes. Ehehe.

Fettuccine Salteado
 
Ingredientes (5 pessoas)
- 1 embalagem de fettuccine
- 1 embalagem de miolo de camarão
- 1 embalagem de delícias do mar 
- 1 lata de cogumelos
- Espinafres
- Queijo Feta (cortado em cubos)
- Azeite
- 3 dentes de alho
- Oregãos, salsa picada e sal q.b.

Modo de preparação: 
  1. Passar as folhas dos espinafres em água a ferver, sem deixar cozer totalmente.
  2. Cozer o fettuccine e o camarão (separadamente).

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Cartas do Passado #2


painting
Desculpa-me. 
Desculpa-me os ciúmes. 
Desculpa-me as cenas. 
Desculpa-me a irritabilidade. 
Desculpa-me, só. 
Não sou fácil, nunca serei. Sinto-me incompleta a cada momento, há um sentimento de vazio constante, uma dor encoberta por uma capa de papel que passa a vida a rasgar.
Sinto que só tu podes reparar o dano que há em mim, o soberbo e profundo dano dentro de mim. Todas as horas que todos os outros perderam a rasgar cada pedacinho meu e a atear-lhes fogo, peço-te, só a ti, que os busques, que enfeitices as cinzas e que voltes a construir o que fui, aquilo que tenho medo de não voltar a ser. Eu era feliz, juro que era feliz, muito feliz – talvez não tanto. Ou então, julgo e apenas creio ter sido feliz porque assim o desejava.

terça-feira, 2 de agosto de 2016

Filhos de quatro patas (Comprovado!)

Acho que já é hora de eu vos apresentar a minha linda, querida, chatinha, babosa, a minha riqueza, a minha mais-que-tudo, a Lolita (!!!). Ela é o que a maioria chama de "rafeiro" (termo que não gosto porque, por vezes, é usado de forma pejorativa), ou seja, não tem raça definida, pois é resultado do cruzamento de um Yorkshire Terrier (o pai) com outro SRD (a mãe). Tem, neste momento, 6 aninhos, mas veio para minha casa com pouco mais de 3 meses, o que quer dizer que cresceu e se desenvolveu connosco. 
Mas não venho aqui em vão, só porque quero apresentá-la. Venho aqui porque, ultimamente, tenho visto vários artigos na internet que falam sobre a relação entre um cão e o seu "dono". Antes de mais, coloco "dono" entre aspas porque não concordo com a denominação pois não creio que seja dona da Lolita, simplesmente a adotei, ela não é da minha posse, right? Prefiro, ainda assim, o termo "tutor", que começa a aparecer em alguns locais, mas não me importo nada de ser a "mãe" de um ser de quatro patas.

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Rubrica: Livros do Mês #3

E aqui estou eu novamente, mais um mês, com três livros para vocês. E desculpem, não consigo resistir, tenho mesmo de dedicar o mês de agosto aos policiais para poder falar desta trilogia de Karin Slaughter, das minhas autoras preferidas, sem sombra de dúvida e não precisei de muito para ficar a adorar. (E vejam que slaughter, em português, é chacina.)
Na verdade, é uma trilogia em Portugal no entanto os livros originais fazem parte de uma série de dez livros, a série "Will Trent", sendo que o último foi publicado já este ano. Mas, como prefiro ler em português, tenho de me resignar e ficar contente por já ter lido estes três. E ter amado!
O primeiro da trilogia foi um livro que me marcou bastante, foi dos primeiros policiais que li que realmente descrevia cenas como eu procurava, de tal maneira que os meus pais questionavam se eu deveria continuar a ler "aquela coisa"... Mas a autora não tem qualquer medo de chocar o leitor, todas as cartas são postas na mesa, não há nada que fique subentendido, não há nada que fique por dizer porque é demasiado perverso, desagradável, ofensivo, whatever

sexta-feira, 29 de julho de 2016

Livro: "Confissões"

Olá!
Desta vez, trago-vos mais um daqueles livros que quero mesmo, mesmo, mesmo comprar, e mais um daqueles que me aparecem no meio daqueles e-mails que recebo da Bertrand, e que traz um descontito: está a 15.25€, em vez de 16.90€, na compra on line.
Apresento-vos "Confissões", de Kanae Minato, escritora japonesa de ficção criminal e dos bons dos thrillers, quem eu desconhecia e com razão pois parece que esta é das poucas obras dela que está traduzida para a língua portuguesa, mas posso estar em erro...

quarta-feira, 27 de julho de 2016

II Apelo à autoestima

Sinceramente, não acredito no que os meus olhos veem e no que os meus ouvidos ouvem neste momento. Encontrei no Youtube uma tal de Nicole Arbour, supostamente comediante, e o seu vídeo "Dear Fat People", um entre vários em que ela ridiculariza alguém, seja vegans, seja pessoas religiosas, feministas, pessoas transgénero, etc. Só porque esta senhora ACHA que é comediante e que tem muita piada ao insultar descaradamente qualquer um. Não sei se é a brincar ou não, nem quero saber, também não me sinto magoada com qualquer coisa que ela tenha dito, quer por ser gorda ou feminista, porque sei que o cérebro de alguém assim, simplesmente, não dá para mais, e acima de tudo porque já aprendi a não dar importância às opiniões daqueles que em nada me são importantes. O que apenas acontece é que fico revoltada por haver pessoas a pensar assim e por pensarem que podem dizer tudo o que lhes apetece.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...